Mês das Vocações

O mês de agosto é dedicado à oração e reflexão sobre as vocações. A Igreja nos propõe um tempo especial de orações para que as vocações de todos os cristãos seja descoberta, despertada, promovida, aprofundada e cultivada.

A oração é o meio privilegiado para suplicar, para pedir ao Senhor que envie esses operários que a Igreja tanto precisa. Esse foi o ensinamento de Jesus a seus discípulos: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da messe que envie trabalhadores para sua colheita!”. (Mt 9,38)

A cada domingo do mês, a liturgia é dedicada à celebração de uma vocação: Sacerdotal, Diaconal, Matrimonial, Religiosa e do Cristão Leigo. Além das riquezas da liturgia dominical, celebramos também os patronos dos sacerdotes e dos diáconos, nos dias que são dedicados ao dia do padre e do diácono.

No dia 04 de agosto celebramos o Dia do Padre ou do Pároco com a festa de São João Maria Vianney, o Cura d’Ars. Ele foi apontado como padroeiro dos sacerdotes por ter sido exemplo de humildade, fiel e coerente com sua missão vocacional, cheio do amor de Deus e zelo pelas almas. Para ele, ser padre significava sacrificar-se, assim como o Sumo e Eterno Sacerdote, Jesus Cristo, um dia fez.

Neste tempo de tanta necessidade missionária, somos convidados a rezar pela vocação e perseverança dos padres; esses homens de Deus que enfrentam no dia a dia a luta pela evangelização de nosso povo, formação das comunidades e transformação de nossa sociedade.

No dia 10 de agosto celebramos a festa de São Lourenço, padroeiro dos Diáconos. Loureço foi diácono no início da Igreja em Roma. Foi martirizado por defender a Igreja e os pobres. Pelo seu testemunho de fé e fidelidade a Deus, amor a Jesus e serviço aos pobres é considerado o padroeiro dos Diáconos.

O diaconado permanente é uma vocação ministerial para o serviço. Assim como padres e bispos, os diáconos são ordenados e deixa de ser leigo e passa a fazer parte do clero. Com o sacramento da ordem, o diácono configura-se ao Cristo Servo que não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate de muitos (Mc 10,45).

O ministério diaconal expressa-se em três dimensões: o serviço da Palavra de Deus, o serviço da Caridade e o serviço da Liturgia. A graça sacramental recebida no dia da ordenação diaconal dá aos Diáconos a força necessária para servir o Povo de Deus na diaconia da Liturgia, da Palavra e da Caridade, em comunhão com o Bispo e os Padres (CIC 1588).

O diácono vivencia a dupla sacramentalidade do matrimônio e da ordem, constituindo a família o primeiro campo de sua ação ministerial, dando testemunho de sua ação evangelizadora sendo “uma fonte de ânimo para todos aqueles que trabalham pela promoção da vida familiar”.

Rezemos pedindo a intercessão de São Lourenço, para que os diáconos deem testemunho da diaconia de Cristo Servo, compartilhando “as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens de hoje, sobretudo dos pobres e dos que sofrem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X